dodouro press

Valpaços
Padre parou sino por causa de mulheres nuas
Incomodado com o barulho provocado por um bar onde alegaria haver "desfiles de mulheres nuas", o padre de Valpaços parou o relógio da Igreja. A ASAE encerrou o café e o relógio voltou a ouvir-se. Ao encerrar um bar, na última semana, a Autoridade da ASAE devolveu à população de Valpaços o direito de ouvir o relógio da igreja. Por acção indirecta. O relógio tinha sido "calado" há menos um mês pelo padre da cidade, Manuel Alves, em protesto contra o funcionamento de um bar junto à Igreja e à residência paroquial.
Farto de insónias, por causa do barulho provocado pelo estabelecimento, e alegando que haveria "desfiles de mulheres nuas" no interior do café, o pároco terá prometido que o relógio só voltaria a dar horas quando o café encerrasse. Assim foi.
O café fechou e o relógio voltou a ouvir-se. Mas a cruzada do pároco para fechar o estabelecimento não se ficou por aqui. Manuel Alves fez várias queixas à GNR, pôs a casa paroquial à venda e, iniciou, a partir do altar, uma campanha contra o bar.