dodouro press

CARVALHO, José Gomes de

nasceu em 1885 em Lordelo do Ouro, concelho de Vila Real. Faleceu em 30-05-1934, ficando sepultado em Braga, no Talhão dos Combatentes da Grande Guerra. Filho de médio lavrador, com mais irmãos, logo que assentou praça, trocou a lavoura pela carreira das armas. Em boa hora o fez. Para melhor exemplificar o perfil deste ilustre transmontano transcrevemos na íntegra o que foi publicado, a seu respeito, no Jornal "O Exército" em 10-06-1934, com o título Um herói que desaparece! "Entre a grande pleiade de heróis que se bateram com denodado esforço, com incontestável valentia em defesa da sua pátria e da civilização, nos campos lamacentos da Flandres, destacou-se a figura verdadeiramente patriótica, indizivelmente gigantesca, de José Gomes de Carvalho, o sargento modelo para os portugueses e o sargento fantasma para os alemães! O inimigo recrudescia o seu fogo. O ambiente tornava se opaco. O trepidar ininterrupto do fogo inimigo saturava o ar de fósforo. O fim do mundo parecia chegado para os valentes defensores de "Wing Georg Road". O Oficial assestava melhor o binóculo. Pela direita apareciam soldados. Portugueses? "Boches"? Concluiu se depressa que eram inimigos. Abriu se fogo chamando a atenção para lá da névoa onde deviam estar pelotões de Portugal. Mas, ai de nós, as munições escasseavam. É então que o alferes Sevivas e o 2° sargento Gomes de Carvalho, com as suas metralhadoras têm ocasião de mostrarem quanto valem. Não têm descanso. Estão em toda a parte! Gomes de Carvalho fica, imenso de coragem, como um "Semi Deus" levando a cada canto a sua metralhadora ardente, a sua fúria incansável, a morte. O boche vai envolver o intrincheiramento. O major G. Pissarra e Bento Roma querem evitá lo. Atrás, nas novas trincheiras ainda, cercando o Block House. Nesta ocasião mais uma vez o sargento G. de Carvalho mostra quanto vale. É ele que nos cobre a retirada. Com a sua metralhadora, imobiliza o Boche, enquanto nós metemos direito ao Block House. E só quando todos passaram é que ele retira. Disse Bento Roma a respeito de Gomes de Carvalho: "Apesar da minha carreira militar não ser muito longa, tem sido muito movimentada e mais de uma vez tenho entrado em fogo. Encontrei muitos soldados valentes, mas, sinceramente, digo, nunca encontrei nenhum como este sargento!" Os próprios subordinados diziam: "O nosso sargento é um leão, por toda a parte faz prodígios com a sua metralhadora". Gomes de Carvalho não hesitava agarrar se à metralhadora desempenhando assim funções de soldado, mas também soube sempre, quer como sargento, quer como comandante em lugar de oficiais, desempenhar a sua missão com uma temeridade inultrapassável. Junto de si não havia covardes, não os podia haver. Gomes de Carvalho além de promovido a 1° sargento por distinção foi condecorado com a medalha de "Vitória"; medalha "military medail"; cruz de guerra; medalha militar de prata de comportamento exemplar e ainda foi condecorado com o grau de cavaleiro da Ordem de Torre e Espada, do Valor, Lealdade e Mérito, etc., etc. Tais foram em síntese as características desse grande português que no dia 30 de Maio de 1934 baixou à sepultura fria, num adeus eterno ao mundo! Tal foi o homem da História Portuguesa que, poupado milagrosamente por todos os engenhos de guerra boches, tão cedo foi arrebatado pelo selvático destino, do nosso convívio que tanto o prezava. Portugueses! Soldados de Portugal! Sentido! Guardai um minuto de silêncio à memória de Gomes de Carvalho, ao herói da Flandres cuja vida foi um manancial de heroicidade... guardai um minuto de silêncio porque ele honrou vos, honrou o nosso querido Portugal..."

Yorfírio Maio Agostinho

In iii volume do Dicionário dos mais ilustres Trasmontanos e Alto Durienses,
coordenado por Barroso da Fonte, 656 páginas, Capa dura.
Editora Cidade Berço, Apartado 108 4801-910 Guimarães - Tel/Fax: 253 412 319, e-mail: ecb@mail.pt
Preço: 30 €