dodouro press

A Cáritas Diocesana da Ilha Terceira nos Açores está aberta à receção de voluntários para a recolha de fundos durante o Peditório Nacional da Cáritas, a decorrer entre os dias 16 e 19 de março. Todos os que queiram participar, ajudando a Cáritas Diocesana a reforçar a sua ação de rua basta dirigirem-se a Cáritas Diocesana de Braga, na Rua dos Falcões, 4700-316 BRAGA, ou através do contacto 295 212 795 e fazer a inscrição.
“A Cárita presta apoio a milhares de pessoas durante o ano, graças à generosidade de todos os portugueses que fazem os seus donativos, consoante a sua possibilidade, durante o Peditório Nacional”, refere Eugénio Fonseca, presidente da Cáritas Portuguesa, apelando ao espírito voluntário de todos os portugueses: “para que possamos continuar a desenvolver este tão importante trabalho, precisamos de voluntários para efetuarem a recolha de donativos”.
Sob o lema “Família construtora da Paz”, as Cáritas Diocesanas de todo o país vão estar a celebrar a Semana Nacional da Cáritas, durante os dias 12 e 19 de março. Inserida nesta iniciativa, a Cáritas leva a cabo o Peditório Nacional que visa recolher fundos para poder dar continuidade ao trabalho de apoio às muitas famílias e pessoas em situação de fragilidade que procuram a Instituição.
São muitos os testemunhos de voluntários que relatam de forma positiva a sua experiência na participação desta iniciativa que é, também, uma forma de comunicar a missão da Cáritas e de recordar que todos os portugueses estão implicados na resolução dos problemas sociais com que o país se defronta.
No ano passado estiveram envolvidos mais de 4 mil voluntários e foi angariado um valor total de 265 110,51€. Este é um valor que permitiu à Cáritas em Portugal dar continuidade ao seu trabalho de apoio às muitas famílias e pessoas que a procuram diariamente, assim como desenvolver projetos locais de integração e promoção da dignidade humana. Durante o ano de 2016 a Cáritas apoiou 73.706 pessoas. Desemprego, saúde e habitação são as dificuldades que mais fragilizam a vida das famílias portuguesas.