dodouro press

O Notícias do Douro gostava de ouvir a sua opinião sobre o que pensa do Douro, dos problemas existentes na região e da crise patente na Casa do Douro ? 

Naturalmente como sabem eu não sou do Douro, mas tenho estado, estou e continuarei a estar com o Douro, Região, suas Gentes e Instituições. De resto considero a Região do Douro a jóia da coroa de Portugal, no aspecto vinhateiro.

Do que afirmo não terão dúvidas os durienses, como dúvidas não tenho, que se me tivessem deixado ser primeiro ministro, mais tempo, os problemas possivelmente estariam resolvidos e a crise estaria debelada, já que durante o meu curto mandato fiz pela região o que governo algum tinha feito antes ou fez depois.

Recordo que no meu mandato através de acordo se procedeu à desistência da Acção de Anulação do negócio RCV/CD instaurada em 1994 e deste modo possibilitando á Casa do Douro dispor livremente das respectivas acções; ter incentivado a que entre o IVDP e a Casa do Douro se tivessem negociado e subscrito acordos quanto ao Cadastro e ao Laboratório da CD, permitindo desde logo condições indutoras de uma certa  estabilidade financeira e a manutenção dos postos de trabalho existentes na Instituição Duriense de referência; ter clarificado a questão relacionada com a atribuição de 15% da venda dos vinhos engarrafados das colheitas de 63 e 64 ( nem antes, nem depois tal acordo foi cumprido); e, ter garantido por documento que os vinhos do stock da Casa do Douro nunca seriam vendidos abaixo do valor do penhor e que 15% reverteriam sempre a favor da Casa do Douro.

Tudo isto feito em menos tempo do que agora qualquer ministro diz precisar para estudar qualquer dossier…

Isto são factos e se os durienses têm memória não se esquecerão do antes e do depois e por certo concluirão que estive, estou e estarei com o Douro, sem esquecer o Portugal no seu todo, como é óbvio.