dodouro press

Pobreza
2Nov.2007 - GOVERNO APOIA IDOSOS DAS COMUNIDADES PORTUGUESAS
Cerca de quatro mil idosos carenciados das comunidades portuguesas recebem mensalmente um subsídio de apoio social atribuído pelo governo português, revelou a Direcção-Geral dos Assuntos Consulares e Comunidades Portuguesas (DGACCP).
Ao assinalar o Dia Internacional para a Erradicação da Pobreza, dados da DGACCP mostram que o Apoio Social a Idosos Carenciados (ASIC) das comunidades portuguesas é concedido a 3.910 emigrantes por se encontrarem "em situação de absoluta carência de meios de subsistência".
De acordo com a GGACCP, o ASIC é atribuído em maior número aos idosos portugueses residentes no Brasil, 1.997, na Venezuela, 1.502, na Argentina, 133, na África do Sul, 91, e Moçambique, 68. Criado em 2000, o ASIC destina-se a fazer face a necessidades essenciais de subsistência e só se aplica aos portugueses residentes em países que não disponham de sistemas de protecção social e de saúde.
Segundo o regulamento, o montante do subsídio a atribuir varia em função do país de acolhimento e é actualizado, em cada ano, a partir do mês de Julho e tem como limite mínimo o montante de 30 euros. O Governo apoia também os emigrantes que "se encontrem em situação de absoluta carência" ao disponibilizar um apoio pontual.
O ASEC pretende apoiar os emigrantes com "necessidades essenciais e extraordinárias", refere o regulamento, sublinhando que podem beneficiar deste subsídio os portugueses residentes no estrangeiro vítimas de um crime contra a integridade física, que necessitem de um tratamento urgente, em caso de doença grave, e os portadores de deficiência. O montante do subsídio a atribuir depende da situação económica e social e da finalidade do apoio pedido.