dodouro press

30Nov.2007 - Até final do ano Ministério da Agricultura reduz  44% dos efectivos
O ministro da Agricultura garantiu no Parlamento, na Comissão dos Assuntos Económicos e no âmbito da discussão do Orçamento do Estado (OE) para 2008, que a sua tutela vai terminar este ano com 7.214 trabalhadores, o que corresponde a uma redução de 44 por cento dos efectivos.
A redução abrangeu também 28 por cento das chefias do Ministério da Agricultura, Desenvolvimento Rural e das Pescas, disse Jaime Silva, lembrando que quando o Governo tomou posse, em 2002, o seu Ministério tinha mais de 12.000 funcionários, sendo que no final de Outubro o número total era de 8.858 funcionários.
"Vamos concluir a reforma do Ministério até final do ano, reduzindo os custos financeiros", disse Jaime Silva, admitindo que o processo de reestruturação interno enfrentou algumas dificuldades porque envolveu o "factor humano e carreiras".
Em relação ao Orçamento do próximo ano, Jaime Silva disse que as despesas de funcionamento no Ministério vão ser reduzidas em 5 por cento, mas, em contrapartida, vai aumentar em 21 por cento do investimento. "Vamos acentuar a política agrícola nacional com o reforço do investimento", acentuou, explicando que "Temos de produzir mais e melhor e é aí que temos de investir os dinheiros públicos". No próximo ano, o ministro espera investir 900 milhões de euros na agricultura, enquanto nas pescas o montante ascende a 111 milhões de euros. "Acreditamos assim que Portugal pode produzir mais e melhor em termos ecologicamente sustentáveis", salientou
Feitas as contas são mesmo muitos para a rua do despedimento, mesmo que tenha outro nome!