dodouro press

Leilões de Vinhos sem valor base de licitação
leilão de vinhos no Palácio deverá realizar-se nos dias 12 e 13 de Novembro
Para além de índices, "os fundos de investimento e os leilões são também soluções para quem está disposto a esperar alguns anos para obter mais-valias", explica o consultor. Embora o mercado nacional de investimentos em vinhos seja ainda muito reduzido, é permitida aos investidores portugueses a exposição a fundos que investem no "néctar dos deuses" ou empresas que os produzem. O Vintage Wine Fund, um dos mais conhecidos, valorizou nos últimos três anos 8%, embora desde o início do ano esteja a perder 4%. Para além do investimento a longo prazo, também o estado de conservação, a marca, o ano da colheita e a durabilidade são alguns dos critérios usados para distinguir vinhos e determinar o seu valor de mercado, recorda Francisco Peres.
Os leilões são também uma oportunidade, quer para investidores quer para coleccionadores. O Palácio do Correio Velho e a Leiria & Nascimento organizam leilões de vinhos. Os leilões são, no entender do consultor, uma excelente oportunidade, para "dinamizar o mercado", que garante que este não é um mercado "apenas para os mais endinheirados". "Com vinhos para todos os gostos e carteiras, os leilões têm cada vez maior adesão e têm a particularidade de se pagar o valor justo pelo vinho.Isto porque não há um valor mínimo de licitação, um valor de reserva, apenas um intervalo de preços indicativos". Com datas ainda a confirmar, o próximo leilão de vinhos no Palácio deverá realizar-se nos dias 12 e 13 de Novembro.Assim, quem investe em vinho ganha sempre: ao vender com lucro terá feito um bom investimento; se não vender, na pior das hipóteses terá excelentes garrafas para abrir e beber com amigos. Com acções, o investidor nunca poderia fazer isso.