dodouro press

Americanos vão  celebrar Dia do Vinho do Porto
Celebrar o Dia do Vinho do Porto, a ter lugar no próximo dia 27 de Janeiro. A ação parte do Center for Wine Origins, em Washington DC, fundado pelo IVDP e pela região de Champagne, e tem como objetivo encorajar a celebração do genuíno e único vinho que provém da distinta Região Demarcada do Douro, Portugal, apelando aos consumidores americanos que participem no festejo e sejam alertados para a necessidade de proteger a denominação de origem "Porto".
Os consumidores podem participar e juntar-se ao Dia do Vinho do Porto, online, através de várias redes sociais como blogs, twitter, facebook, partilhando opiniões e sugestões acerca do vinho do Porto. Podem, ainda, participar em diversas atividades que se irão desenvolver em várias cidades dos Estados Unidos da América.
Os interessados podem registar-se e estar a par das novidades em http://bit.ly/vUenZr.
Em simultâneo com esta celebração do Dia do Vinho do Porto, o Center for Wine Origins lançou um concurso para encorajar os consumidores americanos a fotografar os seus vinhos do Porto favoritos. "O IVDP apoia esta iniciativa de celebração do vinho do Porto nos EUA. É o país no qual estamos a promover um intenso trabalho de proteção das denominações de origem, cujos consumidores começam a estar sensibilizados para a importância da proveniência dos vinhos", adianta o Presidente do IVDP, Manuel de Novaes Cabral.
Esta iniciativa vem reforçar o trabalho de proteção da denominação de origem Porto que o IVDP tem vindo a desenvolver através do Center for Wine Origins e que começa a influenciar os americanos. Um estudo recente indica que os consumidores americanos estão preocupados com os plágios e com a defesa da denominação de origem. Esta foi a principal conclusão de um inquérito realizado online, junto de 1000 consumidores de vinho americanos que compram, no mínimo, três garrafas por mês. Cerca de 79% dos inquiridos consideram que a região de onde é proveniente o vinho é um importante fator no momento da compra; 75% reconhece que deixaria de comprar determinado vinho que dissesse que era de determinada região de origem (como Porto) e que, afinal, não o fosse; 84% defende que a região de origem é de extrema importância para a qualidade do vinho; 96% dos americanos inquiridos diz que os consumidores devem saber a localização das vinhas; 98% defende que se devem estabelecer parâmetros mundiais que atestem, de facto, a localização das uvas e dos vinhos.