dodouro press

Visita às Terras do Demo, inscrições abertas
É já no próximo dia 20 de Abril, sábado, que se realiza a visita às Terras do Demo, guiada por Henrique Monteiro, ex-director do semanário Expresso. O passeio, que integra o programa das comemorações dos 50 anos da morte de Aquilino Ribeiro, promovidas pela Associação Portuguesa de Escritores, revisita os lugares mágicos do mestre e da sua obra. As inscrições estão abertas.
O programa tem início às 14h30, na sede da Fundação, em Soutosa, Moimenta da Beira, com uma sessão de boas vindas pelo Conselho de Administração da FAR, e o passeio começa logo a seguir (15h00). Os participantes visitarão as aldeias do Carregal (Sernancelhe), onde Aquilino nasceu a 13 de Setembro de 1885, e dos Alhais (Vila Nova de Paiva), onde foi baptizado.
O itinerário passará ainda pelo Mosteiro de Nossa Senhora da Assunção, em Tabosa, e pelo Santuário da Lapa, onde Aquilino estudou, terminando novamente na Fundação, em Soutosa, às 17h00, para um Demo de Honra.
A visita à Terras do Demo é um dos sete momentos de evocação nacional no ano em que se assinala o cinquentenário da morte de Aquilino Ribeiro. O primeiro aconteceu no dia 25, no Panteão Nacional, onde repousam os restos mortais de Aquilino. José Manuel Mendes, Mário de Carvalho, António Valdemar e Serafina Mendes, quatro aquilinianos dos sete costados, recordaram o homem e o escritor.
Em Março, a 19, Alfredo Caldeira, Fernando Rosas, Mário Cláudio e José Manuel Mendes, revisitaram na biblioteca da Assembleia da República o tempo da clandestinidade e exílio.
Em Abril, a 21, Mário Cláudio desvia o itinerário para Romarigães, no Minho, terra de Jerónima Dantas Machado, segunda mulher do mestre e território que inspirou Aquilino no romance ‘A Casa Grande de Romarigães’.
Um mês depois, já em Maio, mês do desaparecimento, a evocação dá um salto a Paris, França, no dia 22, onde Coimbra Martins, Eduardo Lourenço e José-Augusto França recordarão os tempos de exílio do escritor. Dois dias depois, no restaurante ‘La Closerie des Lilas’ (favorito de Aquilino e Hemingway), Luís Machado fala sobre os locais do escritor em Paris.
As evocações encerram dia 27 de Maio, quando se completam 50 anos sobre a morte, com uma conferência de António Valdemar e Luís Machado no café ‘Martinho da Arcada’, no Terreiro do Paço, em Lisboa: "De garfo e faca com Aquilino".