dodouro press

Macário amigo, o Povo está contigo!
Macário Correia, homem íntegro, sério e dinâmico, de honestidade inquestionável, que sempre trabalhou para o bem do Povo a que pertence (evidentemente), está a ser mais uma vítima da Justiça Portuguesa! Mesmo que se tenha enganado a assinar qualquer documento, ou desrespeitado as normas, tenho a certeza que daí não resultou qualquer benefício próprio para ele ou sua família, à semelhança do que aconteceu com Torres, Loureiro, Fátima, Isaltino e outros, a quem as más línguas levantam falsos testemunhos constantes, para denegrir a sua "santa" e impoluta imagem.
Não sei como alguém pode atrever-se a tentar fazer mal a estes pobres inocentes que gerem o nosso poder local com dedicação extrema… (Se não fossem eles quem ajudava a desequilibrar as contas do Estado e dava oportunidade aos especuladores para nos cobrarem "blasfémicos juros?) É preciso ter descaramento!
Felizmente que a nossa democracia funciona e não há político que, faça o que fizer, vá parar atrás das grades. Se assim não fosse imaginem o que aconteceria a estes pobres presidentes de Câmara, ministros, secretários, chefes de gabinete, etc. etc.
É um crime o que fizeram a Sócrates, a Dias Loureiro etc., obrigados a viver num exílio dourado, longe da família e dos amigos, coitadinhos!
Parem de acusar autarcas e governantes por crimes que só existem na "cabeça" do Tribunal de Contas e do Supremo Tribunal Administrativo… Estes homens "empreendedores" acusados de ilegalidades são apenas líderes dum país de corruptos e reizinhos… Nada de mal lhes pode acontecer neste Reino onde a fraude é tolerada e aplaudida, desde que não lese de imediato as "vítimas"… A pobreza se encarrega de ensinar a "venerar" quem conseguiu fugir a ela, sem se importar nada com a forma como enriqueceu…
Estamos condenados a continuar pobres, macambúzios, inertes e agradecidos pela dádiva divina que representa a vida e saúde dos nossos líderes! Se não fosse esta gente corríamos grandes riscos de ficar remediados, o que seria uma trabalheira e nos obrigava a pagar impostos.
Como diria Salazar, se as pessoas soubessem o que custa mandar… limitavam-se a obedecer!

Post Scriptum
Ah Gaspar, Passos e Portas dum cabrão!
Sigam o conselho de Macário: deixem-se de banalidades! Saquem mas é dinheiro aos contribuintes, que é disso que Portugal precisa!
Povo na penúria, já! (antes que seja tarde demais)

Celso Neto, Dr.