dodouro press

Para quem não tem vergonha, todo o mundo é seu
Há dias, num dos habituais comentários do professor Marcelo, a Judite perguntou-lhe se não achava estranho, que o Pavilhão Atlântico tenha sido vendido por um terço daquilo que custou: - «Não, porque em Portugal, tudo está a ser vendido a preço de saldo», respondeu Marcelo!
Há tempos, alguém se atreveu a dizer que o presidente da República Angolana, andava a comprar Portugal. Será que o professor tem razão? Por isso, e até porque consta que já cá tem alguns valores em nome da filha, não ficaria surpreendido se um dia José Eduardo dos Santos se transferisse para o nosso País, viesse a candidatar-se a presidente da República Portuguesa, e fizesse de Portugal uma colónia de Angola! Tal não é possível, diremos nós; mas, como de certa gente tudo pode esperar-se, («menos levantar hoje de novo o esplendor de Portugal», o que, para alguns, seria vogar contra ventos levantinos), nunca de sabe!
Segundo uma notícia da Casa Real espanhola, publicada a 17 do mês findo, o rei de Espanha, D. João Carlos, vai diminuir ao seu salário em 7,1%, respeitando assim a decisão governamental imposta a todos os funcionários públicos, incluindo uma redução nas mesmas proporções das despesas de representação para todos os membros da família real.
Estará o presidente Cavaco Silva, (el rei cavaco como alguém já o há cognominado), disposto a seguir o exemplo do monarca espanhol? Bem……todos sabemos, que o senhor professor prescindiu do vencimento de presidente da República, em troca da conservação das suas parcas pensões de reforma. Aceitará Ele que lhes toquem nos seus proventos, ou prevalecerá neste caso a labiríntica e confusa Constituição?
Num comunicado publicado no dia 02 do corrente mês, na Internet, a Lusa afirma que, segundo um relatório de avaliação apresentado recentemente pelo Governo, algumas administrações de Fundações recebem "remunerações chocantes"; concluindo ainda que, na sua maioria, 53% dos gastos, se devem a despesas com o pessoal, salientando que em 370 fundações avaliadas, tinham "1.896 membros na administração"!
Sem pretender fazer qualquer afirmação, baseando-me apenas na voz popular, muitas das fundações são criadas por chicos – espertos, para delas se servirem como meio fácil de encapotar o parasitismo de que se alimentam!
Se a memória não nos for assim tão curta, recordemos a Fundação Mário Soares, para a qual o Estado parece muito ter contribuído. Porém, o benemérito doutor é o presidente da administração e, segundos rezam as "más-línguas", com uma remuneração de excelência, e assim, o "seu maior beneficiário". Outro caso é a fundação Saramago, da qual a sua companheira. Pilar del Rio, terá exigido ser a" presidenta"!
Não passou ainda muito tempo, quando o excelentíssimo ex-presidente da república, Dr. Mário Soares, (não sei se antes se depois de D. Januário ter classificado o actual Governo de profundamente corrupto), terá dito que o actual Governo é uma desilusão, e que a maioria dos portugueses quer um novo Governo.
É verdade, senhor doutor. Mas, ninguém nos garante que o governo que vier a seguir não será outra desilusão e a maioria dos portugueses não vai também querer outro e o mesmo não irá acontecer com todos os que lhes seguirão.
Sabe, a honestidade é uma virtude que, para além de ser um orgulho é também uma vaidade; mas, como me diziam lá em casa, quando eu era ainda muito pequeno e fazia alguma maroteira, para quem não tem vergonha, todo o mundo é seu!
Ninguém, tem o direito de mandar calar ninguém. Contudo, poderemos dizer àqueles que mais iludiram o povo, àqueles que mais gastaram à conta dele e mais contribuíram, para o lançar nas garras da miséria, lançando para cimo dos outros a lama da sua incompetência e irresponsabilidade, tenham pelo menos, a nobreza de primar pelo silêncio

José O. Guerra