dodouro press

24Abr.2008 - Casa do Douro: Funcionário foi requisitado e não sabia!
Um trabalhador da Casa do Douro foi informado de que passaria a prestar serviço no Instituto dos Vinhos do Douro e Porto (IVDP), "a partir do próximo dia 15 de Abril", mas refere que só soube dessa requisição no dia 17 de Abril, já ao final da tarde
Joaquim Mendes Ferreira, de 58 anos de idade, é especialista em classificação de videiras por castas (cadastro), e diz que só soube da sua própria transferência dois dias depois da data em que deveria ter-se apresentado ao serviço no IVDP.
Ao que parece, o funcionário terá sido informado "apenas porque a direcção da Casa do Douro recebeu entretanto a requisição em causa, recebendo posteriormente um telefonema do IVDP".
Manuel António Santos, Presidente da Direcção da Casa do Douro, já se pronunciou sobre o assunto, tendo dito que "para além do aspecto profundamente caricato, a situação é muito grave na medida em que o IVDP pretende desta forma continuar a delapidar a Casa do Douro, agora até no que toca a Recursos Humanos, pois um técnico nesta matéria não se forma de um dia para o outro".
Saliente-se que dos 15 trabalhadores afectos há vários anos ao Serviço de Cadastro da Casa do Douro, este é já o 11º. a ser requisitado pelo Ministério da Agricultura. Recorde-se, ainda, que a informação do cadastro da Casa do Douro (onde estão registadas todos dos dados das vinhas da região e dos viticultores) tem estado no centro de uma polémica entre aquela instituição e o IVDP. Até à última vindima, a CD cedia as informações ao IVDP, recebendo uma comparticipação financeira. Em Dezembro último, o protocolo que vigorava ano a ano, foi rompido pelo IVDP, sendo que o Ministro da Agricultura, Jaime Silva, considera o IVDP um "utilizador legítimo dos dados do cadastro facultados até Dezembro de 2007 para preparar a vindima de 2008", conforme pode ler-se num requerimento dos deputados do PSD na Assembleia da República. A Casa do Douro promete lutar na barra dos Tribunais!