dodouro press

FIGUEIREDO, Eurico José Palheiro de Carvalho

Nasceu em Vila Real em 1939, filho de Otílio de Carvalho Figueiredo (Médico natural de Vila Real) e de Maria Estela Palheiros Fontes (Professora natural de Justes Vila Real). Casou em 1962, com Berta Maria Chaves Fernandes (Bióloga Professora de Toxicologia Alimentar no Curso de Superior de Nutricionismo da Universidade do Porto natural de Casa de Monforte, concelho de Chaves), deste enlace nasceram três filhos: Bárbara (Professora e Psicóloga da Universidade do Minho), Daniela (Médica especialista de anestesia) e Tiago (Psicólogo). A sua actividade política é intensa e muito rica. Com 16 anos iniciou a sua actividade política no MUD Juvenil, milita na Juventude Comunista, que abandona devido à invasão da Checoslováquia pela URSS. Participa activamente, na campanha do General Humberto Delgado. Foi dos mais destacados dirigentes estudantis das greves de 1962. A militância nas greves valeram lhe a expulsão, por trinta meses, da Universidade de Lisboa. Mudase para Coimbra e de 1962 a 1965, participa activamente na reorganização do movimento estudantil coimbrão, sendo eleito primeiro Secretário Geral do Secretariado Nacional dos Estudantes Portugueses. Funda, em 1963, em Coimbra, o movimento clandestino "Movimento Sindical Estudantil", que tem outros nomes como, António Correia de Campos, Medeiros Ferreira e Nuno Bredorode dos Santos. Foi membro da Frente Patriótica de Libertação Nacional de 1963/65, ligado ao grupo de Argel, sobretudo a Manuel Alegre e a Piteira Santos. Como consequência, é preso três vezes pela PIDE e vê se obrigado ao exílio em 1965, na Suíça, onde viveu até 1976. Cria, em 1970, com António Barreto e Medeiros Ferreira, entre outros, a revista "Polémica". Foi militante do Partido Socialista desde Agosto de 1974, tendo pertencido à sua Direcção Nacional e Política, que abandonou em 1999 em discordância com a orientação não reformista. Mas a sua energia política está a emergir num movimento político de que é um dos líderes. Entre 1983 a 1985 e de 1991 até 1999 impõe se como deputado à Assembleia da República, presidindo aqui a várias comissões. Distinguiu se na defesa da identidade transmontana e duriense, dando particular atenção àproblemática do ambiente, do património e dos rios internacionais de Portugal. tendo combatido o Plano Hidrológico Espanhol. Liderou o movimento expontâneo para a suspensão da barragem de Foz Côa e o reconhecimento nacional e internacional das gravuras rupestres, hoje património mundial. Impulsionou o movimento regionalista "Portugal Plural". É Presidente do Conselho Científico da Associação Cívica que provocou o debate sobre a liberalização da droga. Licenciou se em Medicina pela Universidade de Lausana (Suiça) em 1967 e Doutorou se, pela Universidade de Genebra, em 1976, com a tese "Les episodes Schizophreniques aigus e les Unités de Jour. Essai sur 1'utilisation d'un traitement original: La tritherapie", com nota máxima de excelente. É Professor Catedrático de Psiquiatria e Saúde Mental, no Instituto de Ciências Biomédicas de Abel Salazar, desde 1985, na Universidade do Porto. Foi Assistente de várias cadeiras de Medicina, na Suiça e em Portugal. De 1993 até esta data tem ensinado no Instituto Superior de Psicologia Aplicada Lisboa e orientado mestrados na Universidade Luterana do Brasil (ULBRA) em Porto Alegre e em Manaus. É Membro Didacta das Sociedades Portuguesas de Psicanálise e Psicodrama, tem inúmeras comunicações, conferências, palestras. animou mesas redondas e organizou encontros. simpósios, ciclos de conferências.

Publicou inúmeros artigos na imprensa. em Português. Francês, Inglês e Espanhol e os seguintes livros: "O Chapéu Reclame de Cigarros Contribuição para uma psicoterapia institucional", Porto, Edições Afrontamento. 1977; no "Reino de Xanturn", (conflito de Gerações e Adolescência), Porto. Ed Afrontamento, 1985; "Psicanálise da Saudade". Lisboa, Edição O Jornal,1991; Conflito de Gerações, Conflito de Valores, Lisboa". Fundação Calouste Gulbenkian,1988: e "Angústia Ecológica e Futuro" Lisboa. Edições Gradiva,1993. Desempenhou cargos importantes como: De, 1977/79. \ ogal da Comissão Instaladora do Curso Superior de Psicologia do Porto. Universidade do Porto; Director de Internato do Centro de Saúde Mental Ocidental do Porto(1981/85); Eleito Presidente do Conselho Directivo do Instituto de Ciências Biomédicas de Abel Salazar (1983-8-1 ): e Director do Centro de Saúde Mental Ocidental do Porto(1985/88). Tem tido intervenção na área jornalística, com artigos de opinião no Jornal de Noticias. no Expresso de 1993 a 1995 e no jornal Público. Foi agraciado com a Grã Cruz da Ordem da Liberdade e recebeu o Prémio Internacional da Federação Internacional das Organizações de Arte Rupestre devido à importância que teve na condução do processo político que levou à salvaguarda das gravuras de Foz Côa.

Jorge Lage

In ii volume do Dicionário dos mais ilustres Trasmontanos e Alto Durienses,
coordenado por Barroso da Fonte, 656 páginas, Capa dura.
Editora Cidade Berço, Apartado 108 4801-910 Guimarães - Tel/Fax: 253 412 319, e-mail: ecb@mail.pt
Preço: 30 €